Texto Gringo: Exercício 3 de Autocompaixão

E aí, pronto para o exercício 3 de autocompaixão da Dra. Kristin Neff? O que você está achando dos exercícios? Compartilhe sua experiência com a gente nos comentários. Lembrando que a proposta é que você faça o exercício durante a semana. Você pode ver o exercício 2 aqui. Não se esqueça de inscrever seu e-mail no blog para receber notificação dos próximos exercícios. É grátis!

Texto original em/original essay at: http://self-compassion.org/exercise-3-exploring-self-compassion-writing/

Exercício 3: Explorando a Autocompaixão Através da Escrita

Parte 1: Quais imperfeições faze você sentir-se inadequado?

Todos nós temos algo de que não gostamos em nós mesmos; alguma coisa que causa sentimento de vergonha, de insegurança, ou que não é “bom suficiente”. É do ser humano a condição de ser imperfeito e o sentimento de fracasso e inadequação são parte da experiência da vida humana. Tente escrever sobre uma questão que tende a fazer você se sentir inadequado ou mal sobre você mesmo (aparência física, trabalho ou questões de relacionamentos…) Quais emoções vem quando você pensa sobre esse aspecto de você mesmo? Tente somente sentir suas emoções exatamente do jeito que são – não mais nem menos – e então escreva sobre elas.

Parte 2: Escreva uma carta para você mesmo de uma perspectiva de um amigo imaginário incondicionalmente amoroso.

Agora pense sobre um amigo imaginário que é incondicionalmente amoroso, receptivo, gentil e compassivo. Imagine que seu amigo consegue ver todos os seus pontos fortes e todas as suas fraquezas, inclusive o aspecto sobre o qual você acabou de escrever. Refletir sobre o que esse amigo sente por você e como você é amado e aceito exatamente como você é, com todas as suas imperfeições humanas. Esse amigo reconhece o limite da natureza humana e é generoso e indulgente com você. Em sua grande sabedoria, este amigo entende sua história de vida e as milhões de coisas que aconteceram em sua vida para criar você como você é neste momento. Sua inadequação particular é conectada com muitas coisas que você não necessariamente escolheu, tais como: seus genes, seu histórico familiar, circunstâncias da vida – coisas que estavam fora do seu controle.

Escreva uma carta para si mesmo a partir da perspectiva desse amigo imaginário – concentrando-se na inadequação percebida pela qual você tende a se julgar. O que esse amigo lhe diria sobre sua “falha” da perspectiva da compaixão ilimitada? Como esse amigo transmitirá a profunda compaixão que sente por você, especialmente pela dor que sente quando se julga tão duramente? O que esse amigo escreveria para lembrar que você é apenas humano, que todas as pessoas têm seus pontos fortes e fracos? E se você acha que esse amigo sugeriria possíveis mudanças que você deveria fazer, como essas sugestões incorporariam sentimentos de compreensão incondicional e compaixão? Ao escrever para si mesmo a partir da perspectiva desse amigo imaginário, tente infundir sua carta com um forte senso de aceitação, bondade, carinho e desejo por sua saúde e felicidade.

Parte 3: Sinta a compaixão à medida que ela consola e conforta você.

Depois de escrever a carta coloque ela de lado um pouco. Então volte e leia ela de novo deixando as palavras afundarem. Sinta a compaixão enquanto ela flui para você, consolando e confortando você como uma brisa fresca em um dia quente. Amor, conexão e aceitação são seu direito de nascença. Para reivindicá-los, basta olhar para dentro de si.

Tradução livre de Verônica Thiesen. Precisando de uma tradução? Entre em contato.

 

1 resposta a “Texto Gringo: Exercício 3 de Autocompaixão”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *