Meditação Mindfulness

Olá!

Você já deve ter lido e ouvido falar sobre a meditação da atenção plena, amplamente conhecida pelo termo mindfulness. Aqui quero fazer uma síntese rápida da prática e como ela pode te ajudar.

Bom, comecei a meditação da atenção plena em virtude de problemas com a ansiedade no meu dia-dia. Através da meditação aliada ao tratamento em outras frentes, tenho obtido uma evolução, dia após dia. Acredito assim que a meditação pode ajudar a todos, incluindo pessoas com ansiedade ou depressão clínica, como também todos que querem parar de serem dominados pela sua mente.

Bom, anote a lista de coisas que você vai precisar para praticar a atenção plena:

1 – Uma mente humana.

Pronto. Sim, é isso. A atenção plena pode ser praticada em uma linda montanha com vista ao pôr do sol ou no caos do trânsito na hora do rush. Pode ser praticada sentado em uma cadeira, em uma almofada em posição de lótus, de olhos abertos ou fechados, enfim: em praticamente qualquer lugar e circunstância.

Nas palavras de Sam Harris: “Estar em atenção plena não é uma questão de pensar mais claramente sobre experiências, é o ato de vivenciá-lás com mais clareza, inclusive o surgimento dos próprios pensamentos. A atenção plena é uma percepção vívida do que quer que apareça em nossa mente ou em nosso corpo – pensamentos, sensações, estados de humor -, sem que nos apeguemos ao agradável ou que nos esquivemos do desagradável.”

Basicamente, a meditação consiste em simplesmente focar a atenção em um ponto limitado, como a respiração ou as sensações do corpo. Sempre que a mente divaga, o meditador deve voltar a atenção para o ponto desejado, sem se criticar ou se auto analisar. Como nos ensina a Monja budista Coen, meditar é como observar a totalidade da cena com mente aberta, observando como que através de uma lente angular os pensamentos, as sensações do corpo e da respiração, deixando que cada uma delas chegue e se dissolva na consciência.

Estudos mostram que esta prática faz com que percebamos que não somos os nossos pensamentos, que estes não são cópias literais da realidade e que podemos optar por agir ou não de acordo com eles. Além disto, percebemos que a vida é sempre no “agora”, que tudo que temos de verdade é o momento presente, o que nos ajuda através da prática a lidarmos melhor com a ansiedade sobre o futuro e ruminações sobre o passado.

Para quem quer começar a meditar com a técnica da atenção plena, recomendo o curso em livro Atenção Plena – Mindfulness, que apresenta um programa de oito semanas para os iniciantes em meditação. Os áudios das meditações guiadas do curso são disponibilizadas aqui.

A meditação também pode ser o começo do desenvolvimento de uma experiência espiritual. Para os mais céticos, afirmo que não há nada de esotérico aqui: a palavra “espírito” vem do latim spiritus, uma tradução do termo grego “pneuma”, que significa “respirar”, como explica o célebre ateísta Sam Harris no livro Despertar, um guia para a prática espiritual sem religião. A prática espiritual possibilita uma vivência contemplativa que nos ajuda a conhecer a nós mesmos.

Reforço que sou um iniciante na meditação e compartilho a minha experiência esperando que possa ajudar alguém. Não esqueça da importância de consultar um médico e um psicoterapeuta para opinião profissional nessa área. Recomendo meus amigos Ivan Pielke do @osentido e a Mariana do @commpaixao.

 

Um grande abraço a todos!

10 respostas a “Meditação Mindfulness”

  1. Achei muito bom o texto. posso acrescentar o livro “o poder do agora” para tu ler. é bem interessante e vai nesse sentido. Ainda não terminei de ler o mindfullness, mas pretendo hehe 😀
    ótimo texto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *