Perdoe-se

Acredito que uma das melhores virtudes que podemos cultivar é o ato de aprender a perdoar a nós mesmos. Nossa mente tem uma habilidade incrível de guardar informação, mas nós a usamos inutilmente para armazenar ressentimentos.

Milhões de pessoas carregam por uma vida inteira memórias de coisas que aconteceram no passado e pelas quais não conseguem desculpar-se. O resultado disto é uma vida condicionada pelo passado. Não conseguimos empreender nada novo, nada criativo. Esse condicionamento nos prende a coisas velhas, não nos permitindo viver plenamente, resultando em tristezas, mágoas e ansiedades.

É claro que as memórias têm importância, é com os erros do passado que podemos aprender e nos corrigir no futuro. Mas quando não nos permitimos nosso próprio perdão, ficamos presos a energias muito negativas. Em grande parte das vezes, esse comportamento nos leva ao auto-julgamento exagerado, não sendo raros os casos de pessoas que ficam se massacrando constantemente em sua cabeça.

Atenção

O ato de perdoar-se tem uma profunda relação com a atenção plena no momento presente. No ato de focar no aqui e agora, desviamos nossa mente dos ressentimentos do passado, impedindo que eles se alimentem de nossa energia e fiquem ainda maiores.

Geralmente, não conseguimos nos perdoar porque acreditamos que aquele ressentimento traz algo de útil. No entanto, quando tiramos o foco de nossa mente, percebemos que ele de nada serve a não ser para drenar nossa vitalidade e nos atrapalhar. A culpa também muitas vezes é guardada porque algo em nosso inconsciente está apegado a ela, não quer largá-la. No fundo, gostamos de nos sentir culpados, pois essa identificação com o ressentimento faz parte do nosso ego, e se abríssemos mão da culpa, iriamos ameaçar o próprio ego.

Muitas vezes caímos no seguinte ciclo vicioso:

1- focamos em algo que ocorreu no passado pelo qual não conseguimos nos perdoar.

2-  isso tira nossa atenção no momento presente, o que nos faz errar novamente.

3- acumulamos mais uma “falha” ao nosso processo mental, o que virtualmente nos dá uma sensação de “estar certo” em não se perdoar. Pensamentos comuns nessas horas são: “Viu, eu não faço nada certo mesmo” ou “Falhei novamente, eu sabia, nunca vou aprender”.

Perdoe a si mesmo: você pode fazer isso através da meditação, deixando que sua consciência dissolva os ressentimentos e mágoas, sem alimentá-los mais com a mente. Perdoar-se é um requisito necessário para poder seguir em frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *