Não há como cuidar dos problemas externos sem tratar os de dentro

O planeta está lotado. A humanidade corre numa rotina acelerada buscando resolver os problemas que ela mesma criou. Idealizamos leis, teses, desenvolvemos técnicas científicas e os problemas parecem cada vez mais assombrosos. Enquanto isso, acham psicologia uma bobagem cara, pra gente louca. Falar de tratamentos holísticos então, nem pensar! Quem ousar tratar de uma busca interior ou espiritual é um maluco hippie. “Eu não tenho tempo pra essas coisas, tenho que trabalhar e pagar as minhas contas”, dizem.

Enquanto isso, os vícios humanos se alastram. O diálogo morre à míngua face a uma população polarizada. O ódio mata a conversa e a harmonia.

A humanidade criou tanta sarna para se coçar que passa boa parte das 24 horas do seu dia tentando resolver as próprias babaquices. Paralelamente, tenta seguir à risca o manualzinho da felicidade: tenho que ter o carro tal, fazer a super dieta “x” – com fotos no Instagram é claro – e malhar, cortar o glúten e fazer uma faculdade de elite. Tudo isso sem deixar atrasar as séries da Netflix, é claro.

Quando vamos nos dar conta de que, enquanto não tivermos coragem de olhar para dentro, não vamos conseguir resolver nada externo? Ao menos não de uma forma duradoura. Quando vamos assumir responsabilidade pelo nosso estado emocional? Em que momento vamos nos conhecer a ponto de desempenhar o nosso papel na sociedade de forma coerente? Um dia vamos poder sentar e conversar como seres humanos, tirando um pouco a máscara e os títulos que vestimos todos os dias antes de sair de casa, para tentar realmente resolver  os problemas?

Como nos ensinou Sócrates através de Platão, cada elemento de nossa alma tem de cumprir o seu próprio papel, pois de outra forma, não dará certo.

Assim, não perca tempo tentando consertar o mundo enquanto não começar, conscientemente, a arrumar o seu interior.

2 respostas a “Não há como cuidar dos problemas externos sem tratar os de dentro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *