Prudência: entre a inconsequência e a neurose

Tudo na vida é uma questão de equilíbrio. Platão ensina que para ter uma vida melhor, não basta o homem aprimorar apenas um aspecto, mas sim trabalhar em todos. Vejo que a prudência é um elemento que simboliza muito bem este equilíbrio. No entanto, vemos muitas pessoas dançando na corda bamba da prudência entre a inconsequência e a preocupação neurótica.

As pessoas geralmente tentam preservar a vida, mas preservar para quê, se vamos morrer? Meu professor Fernando, da Nova Acrópole, diz sabiamente que não devemos preservar a vida, mas gastá-la com inteligência.

Já falamos aqui que a vida são experiências que você vive, não coisas que você guarda na estante. Vejo muitas pessoas que desenvolvem uma preocupação neurótica e isto lhes tolhe a vida pouco a pouco. E o pior é que muitas vezes elas não percebem, sentem que estão fazendo algo nobre ao evitar qualquer tipo de risco. Mas qual a vantagem disto?

Do outro lado temos os inconsequentes. Se não estiver conseguindo visualizar, imagine os motoboys em uma via movimentada da sua cidade e como eles geralmente trafegam. Realmente não há amanhã, mas não precisamos nos arriscar e tratar o nosso corpo como se não houvesse. Comer qualquer bobagem sempre, deixar o carro aberto com a chave na ignição, andar com o salário todo no bolso, e por aí vai. Até quem pratica esportes radicais, na maioria das vezes, busca garantir o máximo de segurança possível à atividade.

Porém, quantas vezes você não faz uma atividade que pode ajudar na conquista do seu sonho para ficar em casa, mais confortável? Afinal de contas, está frio lá fora, não é mesmo? Quantas vezes você deixa de ver seus amigos para ficar na frente da TV vendo um programa inútil? Ou quando deixamos de ir a outra cidade para uma vaga de emprego que pode mudar nossa vida, afinal teríamos que levantar muito cedo para isso? Deixamos de malhar, comer bem, sair com os amigos, tudo com alguma nobre desculpa.

Por favor, não vá pelas minhas palavras. Investigue você mesmo, na sua vida. Se questione a cada dia como está o seu equilíbrio interno. Seja prudente sem deixar de viver a vida. Afinal de contas, é pra isso que ela existe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *